19.4 C
Curitiba
sábado, 18 maio 2024

Sanepar usa teste de fumaça para identificar ligações irregulares na rede de esgoto

Inspeções e verificação das redes coletoras de esgoto dos imóveis são feitas pela Sanepar para garantir que 100% do esgoto coletado seja corretamente destinado às estações de tratamento da Companhia. Em Curitiba, além do telediagnóstico das redes e o do uso de corantes, a empresa utiliza também o teste de fumaça.

O procedimento vem sendo aplicado na vistoria de redes da Bacia do Rio Belém. O objetivo é detectar infiltrações e rompimentos de rede, além de descartes irregulares de água pluvial e outros resíduos.

A injeção de fumaça na rede é feita por um equipamento termonebulizador acoplado aos Poços de Visita (PVs) ou Dispositivos Tubulares de Inspeção (DTIs). Se a ligação do esgoto estiver correta, a fumaça não será visualizada. Mas se a fumaça sair em galerias pluviais, ralos, calhas, rios, pavimentos, isso é sinal de alguma irregularidade. A fumaça que sai na “boca-de-lobo” na rua, por exemplo, indica que há algum ponto de lançamento ou infiltração de água da chuva na rede de esgoto.

“O teste de fumaça é uma das ferramentas do Diagnóstico Operacional na Rede Coletora de Esgoto, não tem produtos tóxicos e não é nocivo às pessoas, animais ou meio ambiente. O seu resultado nos direciona para as ações que devemos adotar”, explica o técnico da área de Operação de Redes da Sanepar em Curitiba, Jonas da Silva. Para identificar o ponto exato, a Sanepar utiliza outro sistema: o telediagnóstico, colocando uma câmera de vídeo dentro da rede para percorrer a tubulação.

A última etapa do processo de vistoria é feita por meio de teste com corantes não tóxicos. Se houver irregularidade na ligação, o proprietário do imóvel é notificado e recebe um prazo para regularizar;

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 117 | ABRIL/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS