Você não precisa concordar comigo. Você precisa apenas pensar. Aliás, o homem é o único animal que tem a capacidade de elocubrar, divagar, “fantasiar”, emitir opiniões, desenvolver pensamentos e sintetizá-los. E isso não é competência humana adquirida, mas sim um dom divino por sermos criados “…à Sua imagem” (Gênesis 1:27). E pensando nisso, vemos uma preocupação divina em dar ao homem um mandamento que moldaria o caráter humano de forma a não deixá-lo solto, lasso, confuso.

Está escrito: “Não terás outros deuses diante de mim” (Êxodo 20:3). Essa frase dita pelo próprio Deus da Bíblia traz implicações para todas as áreas da vida humana. Ao colocarmos o dinheiro como solução dos nossos problemas financeiros, ao depositarmos toda a nossa esperança em médicos e drogas, ao idolatrarmos pessoas, ao procurarmos soluções para nossas angústias nas religiões ou seitas, estamos dizendo para Deus que Ele não é suficiente para nos amar, para nos suster, para nos restaurar. Se assim não fosse, não existiriam as frases “Só por Deus; só Deus na causa; valha-me, Senhor! etc.”. Isso é porque a essência de Deus em nós nos alerta sobre quem detém poder para nos auxiliar nos momentos impossíveis para o homem. Afinal fomos feitos “imagem e semelhança” do Criador (Gênesis 1:26).

Essa ordem do Criador é ao mesmo tempo um conselho e também uma advertência. Deus está dizendo que Ele é aquele a quem o homem pode recorrer sempre que precisar, porque o sustenta; está dizendo que não é bom o homem se afastar da presença do seu Criador, que é luz; está dizendo que ter outros deuses o deixará confundido, não identificando o verdadeiro Caminho; está dizendo que, não Lhe dando ouvidos, o homem colocará qualquer outra coisa no lugar de Deus, adorando coisas ou pessoas que nunca poderão suprir as suas reais necessidades, aquelas que só o Criador de todas as coisas conhece por conhecer o nosso íntimo, pois nos criou. Vivemos criando “deuses” para neles nos agarrarmos porque sabemos que a humanidade naufraga em seus próprios erros, em suas supostas esperanças advindas do próprio homem que está à deriva.

Por isso a frase dita em Êxodo nos adverte como Pai e nos aconselha como Amigo. Deus não quer que o homem, Sua criatura, viva à deriva, viva confuso, viva sem direção, ou pior, indo a todas as direções. Deus é a direção, é o foco, para isso deu Seu filho como guia, como luz, como vida! Deus pede para que não olhemos para as circunstâncias, assim como Jesus não olhou para elas, mas sim para nós, perdidos, pecadores, desgraçados. É tempo de pensar, e de preferência os pensamentos de Deus, “os quais são mais altos dos que os nossos”, simples humanos! (Isaías 55:9).