A rede pública de saúde inicia hoje (25) a vacinação contra gripe, dirigida a uma população estimada em 320 mil pessoas entre crianças entre seis meses e menores de cinco anos, pessoas com mais de 60 anos, gestantes, mães que tiveram filhos há menos de 45 dias (puérperas) e indígenas. A meta é vacinar 80% desses públicos, aproximadamente 260 mil pessoas em Curitiba. Há ainda os trabalhadores de saúde e portadores de doenças crônicas que também serão imunizados durante a Campanha Nacional de Vacinação, mas não estão contabilizados por se tratar de um público bastante variável. Em Curitiba, todas as 109 unidades básicas de saúde estarão fazendo a vacinação até o dia 20 de maio, conforme o horário de funcionamento de cada unidade.

O público alvo da Campanha de Vacinação é definido pelo Ministério da Saúde com base nos grupos com maior risco de apresentar complicações decorrentes da gripe. A diretora do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, Juliane Oliveira, explica que a vacina utilizada durante a campanha é a trivalente, que imuniza contra os vírus três tipos do vírus influenza (AH1N1, AH3 e B), mas ela lembra que há outros vírus que também podem provocar doenças respiratórias. “Como não existe vacina para estes outros vírus, a melhor forma de prevenção da gripe ainda é evitando o contato com pessoas doentes, além da higienização frequente das mãos e a ventilação dos ambientes”, destaca.

Juliane explica que o contágio da gripe pode ocorrer de forma direta, por meio das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Ela enfatiza, no entanto, que isso também pode ocorrer de forma indireta, após o contato com superfícies contaminadas por secreções respiratórias. “O doente espirrou e o vírus se espalhou pelo corrimão da escada, por exemplo. Outra pessoa colocou as mãos no local e, antes de fazer a higienização, passou a mão na boca, nos olhos ou no nariz. É assim que o vírus entra no organismo, por isso a higiene frequente das mãos é tão importante”, comenta.

As crianças menores de 5 anos fazem parte do grupo que vai receber a vacina contra a gripe pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “As crianças que frequentam creches e escolinhas devem estar com a carteira de vacinação em dia”, salienta a diretora.

Documentação

Para receber a vacina em qualquer uma das unidades de saúde de Curitiba, as pessoas devem levar os seguintes documentos:

Idosos: carteira de identidade;

Crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade: registro de nascimento ou carteira de identidade, além da carteira de vacinação;

Grávidas: basta informar ser gestante, independentemente da época da gestação;

Mulheres até 45 dias após o parto: deverá apresentar qualquer documento que comprove o parto (certidão de nascimento, carteirinha de gestante, documento do hospital onde ocorreu o parto, etc);

Portadores de doenças crônicas: as pessoas deverão levar a solicitação ou prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina (categoria de risco clínico). Para ver a lista completa de doenças crônicas, veja a tabela abaixo.

Profissionais de saúde: serão vacinados, prioritariamente, nos hospitais ou nas unidades básicas de saúde onde atuam, ou nos postos de vacinação, mediante identificação profissional. Trabalhadores de clínicas e consultórios que atendem casos suspeitos de gripe devem levar a declaração do médico responsável pelo serviço onde atua, com a indicação da vacina.

Indígenas: serão vacinados pela equipe da SMS;

Pessoas privadas de liberdade: serão vacinadas pela equipe da SMS