15 C
Curitiba
segunda-feira, 20 maio 2024

Vale do Pinhão impulsiona empreendedorismo e empregos em Curitiba

Ofertar oportunidades que assegurem o trabalho e o desenvolvimento das empresas é um dos pilares que Curitiba adotou como prioridade nos últimos anos, com ações e programas do Vale do Pinhão, ecossistema de inovação lançado pela Prefeitura de Curitiba em 2017, com a Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação.

As ações incluem incentivos fiscais e atualizações nas legislações para atrair novas empresas para a cidade, programas que fomentam o crescimento das já instaladas e estimulam os curitibanos a desenvolverem, com êxito, seus próprios negócios, já tendo impactados milhares de pessoas em Curitiba e Região Metropolitana (RMC). 

“O Vale do Pinhão fortalece e potencializa o ambiente de inovação por meio do empreendedorismo, economia criativa e tecnologia, estimulando novos empregos e oportunidades de trabalho”, explica a presidente da Agência Curitiba de Inovação e Desenvolvimento, Cris Alessi. 

Fomento das startups e unicórnios

Curitiba é a casa das três startups unicórnio do Paraná – MadeiraMadeira, Olist e Ebanx – que juntas, somam 2,7 mil empregos gerados. Os unicórnios são as empresas de tecnologia avaliadas em US$ 1 bilhão ou mais.

O Vale do Pinhão tem ofertado o ambiente ideal para a abertura e desenvolvimento de novas startups, o que reflete no aumento  dessas empresas de tecnologia e inovação na cidade nos últimos anos.

Entre 2020 e 2022, Curitiba teve um aumento de 43% no número de startups na cidade. Segundo o Mapeamento das Startups Paranaenses, estudo anual realizado pelo Sebrae-PR, a capital paranaense registrou, no ano passado, 604 startups, 182 a mais que em 2020.

Com o Programa Curitiba, Cidade das Startups, a Agência Curitiba oferta apoio, orientação e auxílio às startups sediadas na capital paranaense.

Para startups e outras instituições em fase inicial, a Prefeitura oferece ainda três sedes do Worktiba, primeiro espaço de coworking público do Brasil, que já beneficiaram 266 empresas.

Tecnoparque

Retomado em 2018 pela gestão do prefeito Rafael Greca, o Programa Tecnoparque reduz a tributação do ISS de 5% para 2% a empresas de base tecnológica instaladas em Curitiba.

Entre 2018 e 2022, o Tecnoparque da Prefeitura de Curitiba assegurou R$ 280,7 milhões em investimentos para as empresas da cidade, com 114 beneficiados, entre eles os unicórnios Olist e MadeiraMadeira.

Empreendedorismo 

Hoje, se abre uma empresa em Curitiba em 6 horas. Até 2016, eram dois meses.

Essa redução no tempo de abertura de uma nova CNPJ foi uma das primeiras iniciativas da Prefeitura, em 2017, para auxiliar quem deseja empreender, ao unir em uma única plataforma diferentes órgãos responsáveis pela abertura de uma empresa (secretarias municipais, Junta Comercial e Receita Federal).

Além disso, a Prefeitura e a Agência Curitiba ofertam capacitações, consultorias, mentorias e incentivos para o desenvolvimento das micro e pequenas empresas. Neste ano, o Programa Curitiba Empreendedora está ofertando 44 cursos de capacitação para quem empreende e quem quer começar a empreender.

Programa Bom Negócio foi reformulado para atender as novas demandas do mercado, com 232 horas de aulas em sete jornadas de cursos gratuitos, com professores das universidades de Curitiba, Sebrae-PR, Kenzie Academy e Isae/FGV Escola de Negócios.

Para fomentar o protagonismo feminino nos negócios, o Programa Empreendedora Curitibana oferta capacitações e encontros de desenvolvimento do empreendedorismo, como o Elas Inspiram e o Prêmio Curitibana Empreendedora

200 mil MEIs

Com seus nove Espaços Empreendedor, Curitiba chegou em fevereiro a 200 mil Microempreendedores Individuais (MEIs) formalizados e que recebem orientações para prosperar em seus negócios.

A confeiteira Suellen Souza, 24 anos, proprietária da Sou + Doce e MEI número 200 mil da cidade, conta que o suporte que recebeu no Espaço Empreendedor foi fundamental para alavancar seu trabalho. 

“No Espaço Empreendedor, esclareceram várias dúvidas e me deram o passo a passo, foi bem simples. Com o CNPJ, posso emitir nota fiscal e, assim, fechar contratos com empresas que não fariam se eu fosse apenas uma vendedora de doces”, conta Suellen.

 

Empregotech

Os programas 1º Empregotech – gerenciado pela Fundação de Ação Social (FAS) – e Empregotech 40+, em parceria com a Indra/Minsait, ofertam capacitação aos jovens que querem ingressar no mercado de trabalho e a pessoas com 40 anos ou mais que desejam se manter conectados com as novas demandas das empresas, com cursos gratuitos em novas tecnologias. 

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 117 | ABRIL/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS