As ações de combate à violência contra as mulheres foram intensificadas em 2021, período de pandemia e isolamento social em que o número de casos do gênero aumentou em todo o mundo e acendeu o alerta quanto à segurança física e emocional das mulheres.

Na Casa da Mulher Brasileira, de janeiro a 18 de novembro de 2021, foram feitos 8.887 atendimentos, um aumento de 26% em relação ao período de março a dezembro de 2020, quando foram 7.005 atendimentos.

“Os dois últimos anos têm sido desafiadores para todos, sobretudo para as mulheres, que em muitos casos se viram confinadas com o agressor”, declara Elenice Malzoni, assessora de Direitos Humanos e Políticas para a Mulheres.

A Assessoria dos Direitos Humanos – Políticas para Mulheres reforçou as campanhas de conscientização e supervisionou 79 casos, de todas as regionais da cidade. A Casa da Mulher Brasileira (CMB) manteve o atendimento 24 horas àquelas que buscaram ajuda, este ano com uma novidade: um espaço pet para que as vítimas não precisem se separar dos animais de estimação caso precisem de alojamento temporário.

“A Casa da Mulher Brasileira é um local seguro, onde é possível buscar ajuda jurídica e psicológica. Nossa preocupação com o bem-estar de todas nos levou a criar este espaço”, enfatiza Sandra Praddo, coordenadora-geral da CMB.

Cinco anos de trabalho

Desde a implantação da Casa, em junho de 2016, foram 68.971 atendimentos, sendo 3.445 para mulheres provenientes da Região Metropolitana de Curitiba, Litoral, e outros municípios e estados.

Com relação ao alojamento temporário (até 48 horas), foram ocupados 1.191 leitos – 604 por mulheres vítimas de violência e 587 pelas suas crianças.

 

Ações em 2021

Políticas para Mulheres

  • Palestras on-line voltadas à prevenção e enfrentamento às violências contra mulheres, disponibilizadas de forma digital pelo site do Imap. Uma delas feita em parceria com as Assessorias da Igualdade Étnico-Racial e da Diversidade Sexual, com abordagem às demandas de mulheres, negras, transexuais e lésbicas.
  • Orientações nas redes sociais da Prefeitura durante os 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulheres.
  • Dia Internacional da Mulher com início do programa Ela Faz, para difundir o empreendedorismo, no aspecto profissional e pessoal, incentivando a autonomia e independência das mulheres.
  • Divulgação da Cartilha Lei Maria da Penha nas regionais e pontos de vacinação, em alusão ao aniversário da Lei Maria da Penha e ao Dia do Combate ao Feminicídio.
  • Palestras sobre a Lei Maria da Penha, com os servidores da Fundação de Ação Social, 156, Centros Municipais de Educação Infantil e Secretaria Municipal da Educação.
  • Orientação sobre enfrentamento de assédio e importunação sexual nos terminais Pinheirinho e Cabral. Entrega de panfletos sobre o tema. Nas demais regionais, os panfletos foram distribuídos nas Ruas da Cidadania.
  • Está em fase de finalização o Plano Municipal de Políticas para Mulheres, com ações e metas estabelecidas pelas secretarias/órgãos. Consulta pública sobre as necessidades das mulheres do munícipio, para aprimorar as ações propostas no plano.
  • No controle social, representado pelo Conselho Municipal de Políticas para Mulheres, a assessoria subsidiou tecnicamente a revisão do Regimento, que está em fase de publicação.
  •  Participação na Feira do Conhecimento, do Colégio Estadual do Paraná, com presença do Ônibus Lilás, divulgando e orientando sobre o tema.
  •  Em 25 de novembro, Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres, foi realizada uma mobilização com moradoras da Regional Boqueirão, em parceria com a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude, com orientação sobre temas relativos a prevenção e enfrentamento de violências, com lista de serviços disponíveis e canais de denúncia, pela equipe da unidade móvel, Ônibus Lilás. A mesma ação ocorreu nas regionais Portão, Bairro Novo e CIC, em datas diferentes
  •  Blitz informativa, direcionada para motoristas e pedestres das adjacências da Casa da Mulher Brasileira, com entrega de material informativo.
  •  Em parceria com o Conselho Municipal de Direitos das Mulheres, seminário sobre as diversas formas que a violência contra mulheres ocorre e a sua relação com os marcadores sociais de diferença.
  •  Mesa de debates com o Consulado da Argentina, com exposição das ações de enfrentamento das violências contra mulheres e da política de gênero desenvolvida naquele país.

Casa da Mulher Brasileira

  • De janeiro a novembro de 2021, a Casa recebeu 74 visitas de vereadores de Curitiba e de outros municípios e recepcionou a ministra Damaris Alves (Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos), além de realizar reuniões, palestras e entrevistas.
  • Em agosto de 2021 foi assinado o Contrato de Cessão de Uso da União para a Prefeitura de Curitiba da Casa da Mulher Brasileira, por um período de 20 anos.
  • O Dispositivo de Segurança Preventiva – Botão do Pânico beneficiou, desde abril de 2019 a novembro de 2021 o total de 174 mulheres. Atualmente, 64 aparelhos estão ativos.
  • Concedido prêmio Pablo Neruda de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Curitiba para a Coordenadora da Casa da Mulher Brasileira pelos serviços prestados em prol das mulheres em situação de violência doméstica.