A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou nessa terça-feira (6) uma cartilha com informações sobre os prazos máximos de atendimento a serem respeitados pelos planos de saúde.

O material explica, por exemplo, que consultas com especialistas como pediatra e ginecologista devem ser agendadas para, no máximo, uma semana depois da solicitação. Urgências e emergências devem ser atendidas imediatamente, e os exames de análises clínicas, em até três dias. Já os procedimentos de alta complexidade e internação eletiva têm até 21 dias para serem atendidos.

Segundo as regras da ANS, serviços diagnósticos, de terapia e de sessões com psicólogo ou fonoaudiólogo, por exemplo, devem ser fornecidos em um prazo de até dez dias. Já algumas especialidades médicas podem ser feitas em duas semanas.

A cartilha orienta o beneficiário que não conseguir agendar o serviço a ligar para a operadora, pedir indicações de profissionais e pedir o protocolo do atendimento. Caso ainda assim os prazos não sejam respeitados, o cliente pode pedir ajuda à ANS para resolver o impasse.