16.9 C
Curitiba
quinta-feira, 18 abril 2024

Descarte incorreto de lixo compromete a drenagem e aumenta riscos de alagamentos em Curitiba

A Prefeitura de Curitiba faz um alerta à população sobre os perigos do descarte inadequado de lixo, entulhos, principalmente restos de construção, especialmente em áreas próximas a rios, córregos e canais extravasores da cidade. A irresponsabilidade no descarte dos materiais pode comprometer a capacidade de escoamento dos cursos d’água e resultar em sérios problemas durante os períodos de chuvas intensas, como as que têm afetado a cidade nos últimos dias.

Jogados incorretamente também nas ruas, esses materiais comprometem o funcionamento das galerias de águas pluviais, as chamadas bocas de lobo, ocasionando alagamentos nas vias públicas.

Nos últimos três dias, equipes da Prefeitura de Curitiba intensificaram os serviços de manutenção e limpeza dos sistemas de drenagem da cidade.Os trabalhos visam restabelecer os problemas causados pelas fortes chuvas do período, ajudar os moradores e fazer a limpeza dos locais afetados e recompor danos causados devido ao excesso de lixo e materiais descartados incorretamente. Entre o domingo (18) e a terça-feira (20), Curitiba recebeu um acumulado de 118,6 mm de chuvas.

Transtorno nos bairros

O grande volume de água em pouco tempo, associado ao comportamento inadequado de parte da população, provocou transtornos em diversos bairros, boa parte deles ocasionados pelo entupimento de bocas de lobo e redução da vazão de rios e córregos.

Nos últimos três dias, boa parte dos trabalhos de limpeza e manutenção realizados pelas equipes da Prefeitura de Curitiba após as fortes chuvas foi para restabelecer sistemas de drenagem comprometidos devido ao excesso de lixo e entulhos.

O serviço de limpeza e desobstrução do Córrego do Jardim Natália, realizado nesta terça-feira (20/2) no cruzamento das ruas Maceió e Olga Mazepa de Paula, no Cajuru, é um exemplo. Equipes coordenadas pelo Departamento de Pontes e Drenagem da Smop trabalharam para remover das galerias um volume expressivo de resíduos.

O mesmo ocorreu no Alto Boqueirão, na Rua Nivaldo Alberto Barão, de onde foi retirado um grande volume de lixo das margens do Córrego Alto Boqueirão.

“O acúmulo de lixo nas margens de rios e córregos tem impactado diretamente a capacidade de vazão desses corpos d’água, colocando em perigo diversas regiões da cidade”, adverte Rodrigo Araújo Rodrigues, secretário municipal de Obras Públicas.

Cidade mais resiliente

A Prefeitura de Curitiba tem adotado medidas preventivas constantes, investindo em ações de limpeza e desassoreamento para manter a eficiência do sistema de drenagem. No entanto, reforça o secretário, a colaboração ativa da população é crucial para garantir a eficácia dessas iniciativas e tornar a cidade mais resiliente aos efeitos das chuvas intensas.

“É fundamental que cada cidadão compreenda a importância do descarte responsável de resíduos. A sujeira deixada em um bairro pode causar sérios problemas em áreas mais distantes, afetando diretamente a qualidade de vida de todos. Não podemos depender apenas de obras de macrodrenagem; a participação ativa da comunidade é essencial”, enfatiza Rodrigues.

Ameaça ao meio ambiente

Curitiba, cidade cortada por muitos rios, conta com um importante sistema de macrodrenagem. Associado às ações do programa Curitiba Contra Cheias, permite que, mesmo em casos de chuvas fortes que provocam alagamentos pontuais e temporários, os volumes se dissipem rapidamente com o cessar das águas.

No entanto, o descarte inadequado de materiais prejudica a infraestrutura urbana, alaga as ruas, transborda rios e representa uma ameaça ao meio ambiente, comprometendo ecossistemas locais e a qualidade da água.

A conscientização e a mudança de hábitos são passos essenciais para garantir a sustentabilidade e a segurança de Curitiba diante dos desafios ambientais.

Nas campanhas contínuas da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, como a da volta da Família Folhas e o programa Amigo dos Rios, a população é convidada a adotar práticas sustentáveis, como a separação correta de resíduos, a utilização de pontos de coleta específicos para materiais de construção e a denúncia de casos de descarte irregular.

“O engajamento de cada cidadão é crucial para a construção de uma cidade mais resiliente e ambientalmente responsável”, diz a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Dias.

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 116 | MARÇO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS