24.9 C
Curitiba
quinta-feira, 22 fevereiro 2024

Do céu ao poço

As imagens do universo profundo captadas e reveladas pelo “James Webb”, telescópio espacial, apresentam uma grandiosidade tanta que o homem só pode desfrutar do belo e instigante visual mostrado pelo artefato humano. É impossível dizer-se que toda essa perfeição, toda essa beleza veio do nada. Por outro lado, aqui na terra, viu-se também toda a imperfeição humana no ato repulsivo de um profissional que deveria zelar pela dignidade e integridade da pessoa sob seus cuidados. Por que essa distância abissal?

Embora tenha sido o homem criado à imagem e semelhança do Criador, nem sempre as características de Deus, ou seja, o Seu caráter, a Sua essência, transparecem na criatura. Esta se distancia de Deus em anos e anos-luz. Criou o Senhor toda essa magnitude cósmica para que o homem desfrutasse de toda a sua beleza, de todo o seu esplendor, de toda a Sua glória! Há um mundo fantasticamente maravilhoso lá fora, nos confins do Cosmos, nas profundezas do oceano, na compleição física do ser humano. O mundo é belo, a vida é bela, pois Deus fez tudo sublime, primoroso e pleno. As imagens do “James” torna o homem pequeno, ínfimo, um sopro (O homem é como um sopro; seus dias são como sombra passageira. Salmos 144:4), porém ele se imbui de tanto poder (que não tem) que sobrepuja, que subjuga, que domina sobre muitos.

Por que não olhar para cima? E não de cima? Por que não olhar para dentro? E não para fora? Essa vida é tão passageira! Por que infligir ao outro a vergonha, a dor, a maldade? Aquele “profissional da saúde” está tão distante de Deus como a Nebulosa Carina está da Terra. O que se passa em uma mente humana ao constranger outro ser humano em um ato de aberração como noticiado e filmado e posto em redes sociais? O que há com a Humanidade? As mazelas humanas estão sendo reveladas, a podridão do ser humano fede a cada dia (E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mateus 24:12). Vive-se um tempo de beleza e horror, de divino e profano, de amor e ódio. O perigo mora ao lado, e assim caminha a humanidade, dormindo com o inimigo. Embora películas, e ficção logicamente, assim está a humanidade, extasia-se com o universo de Deus e se escandaliza com o universo humano.

     Enfim, é o fim! As obras de Deus e as obras dos homens cada vez mais distantes umas das outras, até que se rompa esse elo e o Criador de todas as coisas renove tudo o que foi criado (E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve; porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. Apocalipse 21:5). Resta ao ser humano a misericórdia do Senhor, que retira o homem do fundo do poço, do lamaçal, da impiedade para a Sua luz, Jesus, o qual veio para salvar todo aquele que n’Ele crer, até mesmo o mais vil pecador.

Jarbas J Silva
Jarbas J Silva
Professor de Língua Portuguesa, especialista em Leitura e Interpretação de texto, Pastor, Escritor e compositor

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 114 | JANEIRO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS