A rede municipal de ensino de Curitiba – que coleciona premiações na robótica – participa nesta terça (15/3) e quarta-feira (16/3) da etapa regional da First Lego League – Torneio Sesi de Robótica, na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

Três escolas municipais levaram equipes para a competição: Omar Sabbag e Durival Britto e Silva (ambas na Regional Cajuru) e Júlia Amaral Di Lenna (Boa Vista).

Participam estudantes de 9 a 16 anos. O tema desta temporada foca o desenvolvimento de projetos ligados a transporte e logística.

A gerente de Inovação Pedagógica da Secretaria Municipal da Educação, Silmara Campese Cezário, acompanha as atividades.

“Torneios como esse proporcionam uma interação entre gerações e a troca de experiências se faz presente de modo muito significativo. E não podemos deixar de lado o compartilhamento dos conhecimentos tecnológicos”, explica Silmara.

O projeto de inovação da escola Durival é o Streetcar, um sistema autônomo e sustentável, guiado por um aplicativo via satélite. Seu principal objetivo é transportar medicamentos do local de compra até o destino final.

Os estudantes da Júlia Amaral Di Lenna se concentraram na zona rural. É um aplicativo para delivery que integra as coordenadas mesmo nos locais sem endereço.

E a equipe da Omar Sabbag decidiu ajudar os transportes de cargas dos trens a chegar ao seu destino no prazo previsto com mais segurança, evitando acidentes nas passagens de níveis e o possível saque das mercadorias.

Premiação no Líbano

A escola Durival Britto e Silva foi destaque internacional em 2019. Em junho daquele ano, os estudantes da equipe Conectados conquistaram um lugar no pódio da First Lego League, competição internacional de robótica realizada na cidade de Biblos, no Líbano.

O evento reuniu 59 equipes de 46 países dos cinco continentes. Entre os brasileiros, os Conectados foram a única equipe de uma escola municipal classificada.

Os curitibinhas ganharam o bronze na categoria Design Mecânico e se destacaram pela qualidade da programação no software Lego e pela pesquisa sobre adaptação da vida humana na exploração espacial.

O trabalho que a equipe curitibana apresentou foi sobre a ansiedade e o estresse dos astronautas. Os estudantes criaram, com apoio da Universidade Federal do Paraná (UFPR), uma microcápsula contendo óleo essencial de lavanda para reduzir os níveis de ansiedade nas missões.