Pioneira e líder nacional no percentual de reciclagem de resíduos, com a separação de 22% de todo o lixo que produz, Curitiba é conhecida também pelos seus parques e unidades de conservação que abrigam flora e fauna nativa, além de preservar os rios que cortam a cidade.

A cidade ganha agora a volta da Família Folhas para reforçar seus programas de sustentabilidade. Veja outros dos principais motivos pelos quais Curitiba é reconhecida como Capital Ecológica:

60 metros quadrados de verde por habitante
A recomendação mínima de área verde por habitante pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 12 metros quadrados. Curitiba leva a sério essa premissa. Tendo criado unidades de conservação e incentivado a preservação de áreas particulares, chegou aos 60 metros quadrados para cada morador.

Parques e bosques em todas as regiões da cidade
São 44 parques e bosques na cidade, além de um jardim botânico. Somados às praças, jardinetes, eixos de animação e jardins ambientais, são quase 13 milhões de metros quadrados de áreas preservadas com bosques nativos, equipamentos de lazer e prática esportiva.

Capital com mais RPPNs
Com 65 Reservas Particulares do Patrimônio Natural Municipal (RPPNMs), Curitiba é referência em políticas de proteção de áreas particulares. Apenas em 2021, a cidade certificou 20 novas reservas, totalizando 65 áreas verdes particulares preservadas, o que corresponde a 812 mil quilômetros quadrados.

O reconhecimento vem da Associação de Protetores de Áreas Verdes do Paraná (APAVE) e da Confederação Nacional de RPPNs.

330 mil árvores nas ruas
Apenas em vias públicas – sem contar as que estão nos bosques nativos, recomposições de plantio nestas áreas e os plantios em áreas particulares do Desafio 100 Mil Árvores –  a capital tem 330 mil exemplares plantados. Entre os inúmeros benefícios das áreas verdes, elas garantem conforto térmico, sombra, abrigo à biodiversidade e sequestro de carbono (fotossíntese).

Lixo garante renda e boa alimentação
Todo o material recolhido pela Coleta Seletiva (Lixo Que Não É Lixo e Câmbio Verde)  em Curitiba é encaminhado às 40 Associações do Ecocidadão. Lá, cerca de 700 pessoas promovem a separação e venda dos materiais – lata, papel, vidro e plástico. Além do valor da venda para empresas que vão fazer o reaproveitamento da matéria-prima, o município paga um valor por tonelada por esse serviço fundamental ao Meio Ambiente da capital.

E, quem separa também pode se beneficiar com alimentação com hortifrutis variados e de qualidade com o programa Câmbio Verde, em que cada quatro quilos de lixo reciclável podem ser trocados por um quilo de frutas e verduras. E cada quatro litros de óleo valem um quilo de alimento. As trocas acontecem quinzenalmente – exceto em feriados – de terça a sexta-feira em 103 pontos de Curitiba.