Operação da PM reforça policiamento nas regiões Oeste, Sul e Central de Curitiba - Curitiba, 04/02/2022

As regiões Oeste, Sul e Central de Curitiba estão com proteção redobrada desde a tarde desta sexta-feira (04), devido uma operação conjunta do 12° e 13° Batalhões da Polícia Militar do Paraná, ambos pertencentes ao 1º Comando Regional da PM (1º CRPM). Mais de 150 policiais estão envolvidos na operação iniciada na praça Tito Schier, no bairro Portão. Eles se juntam ao policiamento já existente.

O comandante do 1° Comando Regional da PM (1° CRPM), coronel Renato de Oliveira Ribas Filho, explicou que a operação tem como objetivo intensificar o policiamento nos bairros mais populosos da região, sendo eles Portão, Água Verde, Guaíra e entre outros.

“A partir dos nossos índices criminais, planejamos essa operação para levar mais segurança para a população e diminuir os índices de furtos e roubos a veículos, comércios e demais crimes que temos registrado nessa área”, afirmou. “Os trabalhos seguem durante a tarde e a noite, e, em horários estratégicos, mais equipes se juntarão à operação”.

Além dos policiais da radiopatrulha dos dois batalhões, também participam da operação o Regimento de Polícia Montada (RPMon), a Companhia de Ronda Ostensivas com Aplicação de Motocicletas (Cirocam) e o Batalhão de Polícia Choque (BPChoque).

A região foi escolhida de forma estratégica, pois são bairros populosos e com um grande eixo comercial. “Nós estamos fazendo diversas operações em Curitiba e intensificando a atuação na identificação de criminosos e na diminuição dos índices criminais. Mas esses três bairros, além dos comércios, também têm grandes terminais, o que aumenta a população flutuante, por isso a Polícia Militar vem com esse esforço trazer mais segurança para essa comunidade”, disse Ribas.

As equipes policiais farão policiamento base, bloqueios de trânsito e patrulhamento e atuarão em reforço ao policiamento ordinário de cada unidade. “Estamos em início de mês e véspera de final de semana, o que eleva o número de pessoas nas ruas e, consequentemente, a atenção da Polícia Militar”, explicou.