Penitenciárias do Paraná recebem doação de 3 mil livros de literatura. Foto: Divulgação

Penitenciárias do Paraná receberam neste mês de abril a doação de 3 mil livros de literatura. As obras, doadas pela editora Aymará, serão distribuídas para 33 unidades penais do Estado e utilizadas no projeto de remição pela leitura.

Criado em 2012, o projeto tem como objetivo ampliar a visão de mundo, por meio de livros que tragam conteúdos e histórias que instiguem a reflexão do leitor. Entre as obras doadas estão “Quem inventou Deus?”, de Domingos Pellegrini; “O cobrador que lia Heidegger”, de Samir Thomaz; “Bichos, plantas e seus parentes”, de Luiz Eduardo Cheida, e “Um camponês na capital”, de Miguel Sanches.

Para o chefe da divisão de educação e produção do Departamento de Execução Penal do Paraná (Depen), Boanerges Silvestre Boeno Filho, o projeto amplia a capacidade de atendimento ao preso. “É uma maneira de contemplar o preso que não está estudando ou implantado em canteiro de trabalho, com uma atividade educacional que busca provocar mudanças em seus pensamentos e entendimento sobre a vida”, explica.

Provocar mudanças é justamente a intenção da editora Aymará, de acordo com o representante da empresa, Fábio Lucho. “Buscamos contribuir com doações de bons livros para proporcionar aos detentos momentos de aquisição de conhecimento e reflexão, despertando no contexto prisional um ambiente de harmonia”, afirma.

REMIÇÃO PELA LEITURA – A iniciativa paranaense do Projeto de Remição pela Leitura recebeu o Prêmio Estadual Selo ODM (Objetivos do Milênio) Paraná 2013 e o Prêmio Nacional de Boas Práticas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Todos os presos alfabetizados das unidades penais do Estado podem participar do projeto, do qual o Paraná é pioneiro. Já são mais de 20 mil obras literárias lidas e que foram contabilizadas para remição da pena, desde que o projeto foi instituído, pela lei estadual nº 17.329/2012.

No início de cada mês, o preso escolhe um livro na biblioteca da unidade penal, de acordo com seu nível de conhecimento. Até o dia 20, ele faz a leitura da obra, tendo até o dia 30 para produzir o relatório de leitura ou resenha, em momentos para escrita e reescrita do texto, com orientação de professores da rede estadual de ensino. A produção é avaliada e são aprovados aqueles que tiverem nota igual ou superior a 6.

A cada livro lido e material produzido aprovado, é expedido relatório de atividade de estudo pelo Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja) do estabelecimento penal, computando o equivalente a quatro dias de remição da pena por estudo, através da leitura.

DOAÇÕES – A campanha de doação para o projeto de remição pela leitura é permanente. São aceitos livros de literatura brasileira e literatura estrangeira, de aventura, romance e outros gêneros, com exceção de livros didáticos, enciclopédias e revistas. Os livros devem ser entregues diretamente nas unidades penais ou, ainda, na sede da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária (sala do Núcleo de Comunicação – Rua Deputado Mario de Barros, 1.290 – 4º andar – Centro Cívico – Curitiba).