Quem passou pela Rodoferroviária de Curitiba nesta sexta-feira (21/2) recebeu informações importantes para que o Carnaval possa ser aproveitado por todos com respeito, saúde e segurança. Duas ações educativas promovidas pela Prefeitura e uma pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) alertaram os passageiros sobre trabalho infantil, a necessidade do uso do cinto de segurança durante as viagens e a importância do uso da camisinha.

“Queremos conscientizar as pessoas que estão entrando ou saindo da cidade durante o Carnaval. A ideia é reduzir as violações de direitos, principalmente de crianças e adolescentes, comuns em períodos de grandes eventos”, disse o presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Thiago Ferro.  

Com a distribuição de materiais educativos, equipes da FAS e da PRF abordaram os passageiros nas filas de embarque e dentro dos ônibus que deixavam a cidade.

Os passageiros foram informados pelos técnicos da FAS que, no Brasil, o trabalho é proibido para menores de 16 anos e também sobre os canais de denúncia. Eles alertaram que o trabalho infantil prejudica crianças e adolescentes, porque tira deles a oportunidade de estudar e ter uma infância saudável.

Em 2019, foram registrados, em Curitiba, 93 casos de trabalho infantil. As denúncias podem ser feitas pelo telefone, no Disque 100 – Direitos Humanos, Disque Denúncia 181 e o 156, da Prefeitura de Curitiba.

Cinto de segurança

A ação da PRF conscientizou os passageiros da necessidade e importância do uso do cinto de segurança durante toda a viagem.

“Muitos passageiros colocam o cinto no momento da partida, mas logo em seguida tiram o equipamento que evita o agravamento de situações, em caso de acidente”, disse o porta-voz da PRF, Maciel Junior. Em caso de acidentes com ônibus, o passageiro sem cinto se torna um projétil dentro do veículo.

Angélica Teófilo Machado, 23 anos, e o marido, Luiz Fernando Ferreira, 22 anos, receberam os materiais educativos antes do embarque para Rio Negrinho (SC).

“É uma boa atitude porque as pessoas não dão importância quando veem uma criança trabalhando e esquecem de colocar o cinto de segurança quando viajam de ônibus”, disse Angélica.

O universitário Lucas de Oliveira Neves, 23 anos, que viajaria para Mafra (SC), também gostou do que viu. “É bom porque na Rodoviária tem bastante gente circulando, dá para atingir mais pessoas”, disse.

Camisinha

A ação de prevenção a infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) feita pela Secretaria Municipal da Saúde e o Conselho Municipal de Saúde distribuiu cinco mil preservativos.

Além da entrega de camisinhas, 15 técnicos da secretaria e os integrantes do conselho deram orientações para os passageiros, especialmente aqueles que estavam a viajando rumo ao litoral para o Carnaval.

Moradora de Curitiba a caminho de Matinhos, a cabeleireira Dirlene Alcântara, 30 anos, mãe de quatro filhos, aprovou a campanha. “Estou levando camisinhas para a minha irmã e para o meu sobrinho”, disse ela.

“A gente reforça a importância do uso do preservativo, mas também explica como e onde fazer os testes de doenças”, diz a coordenadora de Vigilância Epidemiológica dos Agravos Crônicos Transmissíveis da secretaria, Liza Bueno Rosso.

Autoteste na Rodoviária

Os viajantes também foram informados da possibilidade do autoteste de HIV na Rodoferroviária, uma iniciativa do projeto A Hora é Agora voltada a homens que fazem sexo com homens (HSH) e gays do sexo masculino, maiores de 18 anos.

É possível solicitar o autoteste por fluido oral pela plataforma virtual www.ahoraeagora.org ou o aplicativo, disponível nas versões Android e IOs, e preencher um questionário. Não é necessário se identificar.

Feito o pedido, ele recebe em até dois dias um código de retirada e uma senha. Com essas informações, deve se dirigir à rodoviária para fazer a retirada.