Dois jogos, duas vitórias. O Brasileirão está começando, mas os resultados e o futebol mostrado pelo Athletico nestas primeiras partidas podem ser o prenúncio de uma grande campanha. Nesta quarta-feira (12) foi o Goiás quem caiu diante do Furacão.

Novamente, o time comandado por Dorival Júnior dominou a partida, buscou o gol a todo momento e conquistou um triunfo merecido. As circunstâncias levaram a alguns momentos de tensão, mas no geral foi o Athletico quem se impôs.

No primeiro tempo, o controle foi total. Mais de 80% de posse de bola, 11 finalizações. E se o craque Nikão não estava em um dos dias mais brilhantes pela direita, no lado esquerdo Vitinho aparecia 100% ligado e inspirado.

Aos 31’, foi impossível segurar aquele chute na gaveta. Ele recebeu de Lucas Halter, avançou em direção da área, passou por um zagueiro e ajeitou para a perna direita. A bola fez uma linda curva antes de balançar a rede. Golaço do piá do Caju.

Se houvesse justiça, Vitinho teria feito o segundo ainda na primeira etapa. Mas a cabeçada certeira, após o bom cruzamento de Jonathan, explodiu na trave.

E no último instante, o VAR apontou pênalti para o Goiás, após a bola bater na mão de Thiago Heleno, que estava na barreira em uma falta. A cobrança foi precisa e Santos não teve o que fazer.

O empate não era justo e alguns instantes de desatenção no começo do segundo tempo quase pioraram a situação. Mas logo o Furacão voltou a mandar no jogo.

O gol da vitória poderia ter saído na linda jogada que terminou com o chute de Léo Cittadini, após uma longa troca de passes no ataque. Mas ele veio novamente com a participação decisiva de Vitinho.

Aos 30’, Nikão cruzou fechado, o goleiro do Goiás não alcançou. A bola ia saindo pela linha de fundo, mas Vitinho acreditou no lance e conseguiu tocar para o meio da área, encobrindo o arqueiro verde, e Carlos Eduardo apareceu para tocar de cabeça.