Numa noite fria em Curitiba, os mais de 20 mil torcedores presentes no Estádio Joaquim Américo esquentaram o clima no Caldeirão. Mas o time não estava se encontrando nos primeiros minutos.

O Santos tomou a frente das ações ofensivas e, com jogadas rápidas, chegava com perigo à área defendida pela defesa rubro-negra. E foi com uma jogada rápida pelo lado direito, aos onze minutos, que Matheus Leonardo subiu na segunda trave e abriu o placar de cabeça.

A torcida gritou mais alto e o Furacão se acertou em campo a partir dos trinta minutos de bola rolando. O poste tremeu aos 33’, quando, em uma jogada ensaiada de cobrança de escanteio, Terans tocou para Christian e o volante soltou a bomba de fora da área. O goleiro santista só ficou olhando a bola parar na sua trave direita!

Na sequência do lance, Cuello bateu de longe e quase encobriu João Paulo, que se recuperou e conseguiu mandar para escanteio.

Todos no Caldeirão sabiam que o gol estava próximo e ele saiu numa bonita jogada, aos 42’. Abner driblou no meio-campo e acionou Terans, que tabelou com Pablo e arriscou o chute. A bola desviou na defesa e sobrou com Pedro Rocha. Ele tocou para o meio da área e deixou Pablo na boa para empatar a partida!

Na segunda etapa, o Furacão melhorou na partida e seguiu pressionando o Santos. E a pressão surtiu efeito aos dez minutos, com a virada. David Terans cobrou falta com veneno, Léo Baptistão tentou cortar e mandou contra o próprio gol.

Mas o placar não ficou assim por muito tempo. Em novo cruzamento do lado direito, a bola desviou no meio do caminho e Matheus Leonardo marcou o gol de empate.

Dali por diante, as duas equipes tiveram oportunidades de marcar o gol para definir o jogo, sem sucesso.

O Furacão, com Léo Cittadini, numa grande chance de cabeça, e o Santos com Maicon, também numa cabeçada, após cobrança de escanteio.