A Escola Municipal Professor Brandão, no bairro Alto da Glória, passou nesta sexta-feira (19/2) pelo processo de sanitização com amônia quaternária. É mais uma das medidas de segurança que a Prefeitura de Curitiba tem adotado durante a pandemia da covid-19. No caso das unidades da rede municipal, tem sido feito um reforço nos procedimentos regulares de higienização.

“Ações como esta, que se repetirão em outras unidades, garantem a segurança de todos no retorno das aulas”, disse o prefeito Rafael Greca ao acompanhar o procedimento dentro da escola, que tem 470 estudantes.

A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, explicou que a sanitização é um procedimento diferente da limpeza normal, feita diariamente com desinfetantes. “Esta nebulização é para eliminar vírus, bactérias e fungos.”

O secretário de Administração e de Gestão de Pessoal, Alexandre Jarschel de Oliveira, reforçou que o procedimento contribui para o bem-estar e a segurança dos servidores da Educação.

Todas as unidades também já receberam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e itens de limpeza para o dia a dia, como tapetes sanitizantes, totens e frascos de álcool em gel, face shields, máscaras. Os produtos foram adquiridos pela Prefeitura, desde o ano passado, e distribuídos às unidades.

A Secretaria Municipal da Educação investiu, por enquanto, R$ 2 milhões na aquisição de itens para prevenção ao novo coronavírus e produtos de limpeza destinados a toda rede municipal de ensino.

Presenças

Também estiveram na escola a superintendente de Gestão Educacional, Andressa Pereira; o superintendente Executivo, Oséias Santos de Oliveira; a diretora do Departamento de Logística, Maria Cristina Brandalize; o chefe do Núcleo Regional da Educação da Matriz, Pedro Rodrigo de Andrade; a diretora da escola, Ednéia Aparecida Dias; e a vice-diretora Cristiane Fernandes Rino.

Protocolo de segurança

Pela manhã, o prefeito esteve no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Boa Vista, no Atuba, onde fez uma vistoria na organização do protocolo para a volta às aulas. O prefeito conferiu os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e os itens de limpeza que a escola recebeu.

“Padrão Curitiba com capricho”, afirmou o prefeito, que também verificou a limpeza dos livros infantis.

“Os livros serão usados e depois higienizados com álcool 70%. Não será o vírus o pretexto para que a luz do saber não chegue aos curitibinhas”, comentou o prefeito.

Medidas contra a covid-19

Todas as normas para estudantes e profissionais da educação adotarem no retorno às aulas presenciais na rede municipal estão previstas em protocolo elaborado a partir por um comitê composto por 28 integrantes de diversos segmentos e validado pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal de Saúde.

Para quem frequentar as unidades, é obrigatório o uso de máscara, distanciamento entre as carteiras de 1,5 metro, horários alternados de intervalo, uso de álcool gel, tapetes sanitizantes, interdição de bebedouros coletivos, aferição de temperatura, entre outros cuidados.

A recomendação é que cada criança leve uma garrafinha de água, que poderá ser abastecida na escola.

Desde o ano passado, chefes dos Núcleos Regionais da Educação, os diretores e demais profissionais das unidades, além das empresas terceirizadas de limpeza, foram orientados em relação ao protocolo.

A ocupação máxima será de 50% da capacidade, o que varia conforme o tamanho da unidade. Por isso, cada escola e Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) tem um comitê interno encarregado de colocar as normas em prática.

Para garantir os limites dentro das salas de aula, os estudantes serão divididos em grupos. Caso algum caso de covid-19 seja conformado na unidade, o grupo será isolado.

O protocolo foi apresentado oficialmente à rede de ensino em dezembro, durante videoconferência na Prefeitura de Curitiba, pelo prefeito e pela secretária Maria Sílvia Bacila.

Principais precauções nas unidades

– Uso obrigatório de máscara para profissionais e estudantes

– Totens e frascos de álcool em gel disponíveis

– Horários de entrada, saída, refeições e intervalos escalonados para evitar aglomerações

– Interdição de bebedouros coletivos

– Distanciamento social de 1,5 metro

– Desinfecção de mobiliário e materiais em geral com álcool 70%