Museu expõe imagens aéreas de Curitiba e de países totalitários

O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba inaugura nesta quarta-feira (27/2) as exposições “Curitiba Aérea – Lírica Urbana”, de Guilherme Pupo, com imagens aéreas feitas com drone, e “Parca Hegemonia”, de Raul Frare, com fotografias feitas em três países que despertam o imaginário do ocidente: Coreia do Norte, Turcomenistão e Eritreia.  As exposições permanecem abertas até 26 de maio, com entrada gratuita.

A exposição do fotógrafo Guilherme Pupo reúne 25 imagens de Curitiba, de ângulos inusitados e inéditos mesmo para quem conhece a cidade.  “A fotografia aérea de Guilherme Pupo nos oferece um novo ângulo e uma perspectiva lúdica da cidade. Em seu Calçadão da Rua XV, as sombras roubam a cena, tornando-se protagonistas de uma ficção urbana em que contracenam com os sujeitos da foto num cenário ambíguo, onde as imagens parecem existir simultaneamente sob duas perspectivas diferentes”, diz a curadora Cristianne Rodrigues.

Guilherme Pupo é fotógrafo profissional desde 2001 e tem imagens publicadas nos maiores veículos de comunicação do país. Atualmente, tem se dedicado à produção de imagens aéreas com o uso de drones. No ano passado, recebeu o prêmio do Júri no concurso Street Awards, do Lens Culture, uma das maiores comunidades de fotografia no Instagram, e menção honrosa no Drone Awards 2018, premiação internacional que escolhe as melhores imagens feitas com drone pelo mundo.

A imagem premiada nos dois concursos mostra o Calçadão da Rua XV e fará parte da exposição no Museu da Fotografia. Além das fotos, os visitantes também vão poder assistir à projeção de vídeos feitos pelo fotógrafo também com o uso de drone em alguns pontos centrais da cidade. 


Saiba mais sobre a exposição “Parca Hegemonia”, de Raul Frare          

Realizadas entre 2007 e 2015, as fotografias de Raul Frare apresentam imagens de países que passam por regimes totalitários e que geralmente são mais conhecidos pelas narrativas que os ocidentais fazem deles do que por seus próprios discursos. “As ditaduras asiáticas e africanas têm fascinado o ocidente, entre a condenação de seus abusos de poder e o encantamento pelo seu exotismo”, comenta a curadora Pollyana Quintella.

“Parca Hegemonia” procura não somente mostrar imagens que refletem a dureza do controle do estado, mas também o lado descontraído de seus habitantes. “Nas fotografias da Coreia do Norte, por exemplo, vemos não só retratos de disciplina e vigilância, mas tentativas de leveza e diversão, como em As crianças de vermelho e o Parque de diversões”, exemplifica a curadora, fazendo referência aos títulos de duas fotos da exposição.  A exposição estreou em 2018 na SOMA Galeria.

Raul Frare nasceu em Curitiba (1977) onde vive e trabalha. Apaixonado por expedições e culturas exóticas, já esteve fotografando nos lugares mais remotos dos quatro cantos do mundo. Autor do blog “Pra la de Bagdad” onde compartilha suas experiências de viagens pelo mundo.


Serviço:

Exposição Curitiba Aérea – Lírica Urbana, de Guilherme Pupo
Curadoria: Cristianne Rodrigues

Exposição Parca Hegemonia, de Raul Frare
Curadoria: Pollyana Quintella

Local: Museu da Fotografia Cidade de Curitiba – Solar do Barão (R. Carlos Cavalcanti, 533 – Centro)
Data: de 27 de fevereiro a 26 de maio de 2019
Abertura: 27 de fevereiro (quarta-feira), a partir das 19h
Horário de funcionamento: das 9h às 12h e 14h às 18h (terça a sexta-feira) e das 12h às 18h (sábado e domingo)
Entrada gratuita
Telefone: (41) 3321-3260