15.9 C
Curitiba
sexta-feira, 14 junho 2024

Você sabia que é possível quitar financiamento com Consórcio?

Em 2021, os financiamentos imobiliários bateram recorde no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (ABECIP), foram mais de R$ 200 bilhões, um aumento de 65,7% em relação ao ano anterior.

Já em 2022 houve uma desaceleração, com queda de 6%, mas ainda um valor maior que o comercializado antes da pandemia. “Isso nos mostra que o custo do financiamento é muito alto, chega a ser quase 3 vezes o valor que financiou e leva cerca de 35 anos para ser quitado”, explica Margarete, gerente comercial na unidade de vendas do Rebouças do consórcio Servopa. 

O consórcio; prazo máximo de 20 anos tem o custo final aproximadamente 40% mais barato que o financiamento. Afinal, é uma modalidade que reúne um grupo de pessoas com o objetivo de criar um fundo comum que permite a todos realizar um projeto de vida, como adquirir um imóvel ou veículo, ou ainda contratar um serviço.   O consórcio “É uma excelente ferramenta para quitar financiamentos feitos no passado a juros altos ou novos que estão impactados pelas altas taxas do mercado. Hoje, os financiamentos sofrem com taxas anuais de 12% a 13% ao ano. Enquanto no consórcio, no prazo mais longo, que é de 240 meses, a maior taxa que temos é de 24% nos 20 anos de duração. Se dividir esses valores, a taxa mensal é de 0,1% linear. Isso prova que é uma excelente maneira de quitar essas dívidas, com perfil longo e taxa de juros elevada”, aprofunda a gerente.

O consórcio de imóveis, tem seu valor atualizado pelo Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) para que o crédito contratado pelo consorciado seja reajustado de acordo com o mercado e permita que, ao ser contemplado, o poder de compra se mantenha adequado. Já os consórcios de veículos, o reajuste é feito pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).  Nos financiamentos, a variação da parcela é feita pela Taxa Referencial (TR), pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ou pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M). “Funciona assim, o cliente quita as parcelas amortizando o saldo devedor. E, com base nesse valor, o processo de aquisição da cota na Servopa é o mesmo, o que muda é a documentação apresentada para a liberação do crédito de acordo com o uso. No caso dos financiamentos imobiliários, a quitação deve ser feita com o crédito do consórcio imobiliário, desde que o financiamento seja de aquisição (SFH).  Para quitar o financiamento de carro o consorcio tem que ser de autos”, detalha Margarete.

Marlene Carvalho
Marlene Carvalho
Especialista em Consórcios com 29 anos de experiência, Pedagoga, Designer de Interiores

Relacionados

EDIÇÃO IMPRESSA Nº 118 | MAIO/2024

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS